segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Braçadas mais altas!


Conheci, “nadando”, alguém que, em pouco tempo, ensinou-me muito. Alguém tão inteligente, tão vivido, tão só. Ele disse que o meu nado é bonito, mas que as minhas braçadas têm que ser mais altas. E me disse sobre a vida. E me disse que não há nada mais importante do que o afeto!



(Aline Espíndola)


4 comentários:

  1. Que bonito, Aline. Me lembrou Adélia Prado, em "Ensinamento", deixo de "brinde" pra vc:

    "Minha mãe achava estudo
    a coisa mais fina do mundo.
    Não é.
    A coisa mais fina do mundo é o sentimento.
    Aquele dia de noite, o pai fazendo serão,
    ela falou comigo:
    "Coitado, até essa hora no serviço pesado".
    Arrumou pão e café , deixou tacho no fogo com água quente.
    Não me falou em amor.
    Essa palavra de luxo."

    ResponderExcluir